"Que te devolvam a alma homem do nosso tempo. Pede isso a Deus ou às coisas que acreditas: à terra, às águas, à noite desmedida. Uiva se quiseres, ao teu próprio ventre se é ele quem comanda a tua vida, não importa... Pede à mulher, àquela que foi noiva, à que se fez amiga. Abre a tua boca, ulula, pede à chuva. Ruge como se tivesses no peito uma enorme ferida, escancara a tua boca, regouga: A ALMA. A ALMA DE VOLTA." (Hilda Hilst)

19/10/2010

"O relojoeiro"

“Meu velho relojoeiro que escutas com atenção
O tic tac dos velhos relógios fraquinhos do coração,
O que te diz secretamente o relógio do cliente?
Ele está me contando a história
Das horas que já marcou,
Do minuto feliz e do tempo que já desperdiçou.
Diz que há m
uito não consegue
marcar um dia sossegado
Deve ter algo quebrado que eu vou consertar
E na mola novinha em folha
Horas novas vou colocar
As mais bonitas do mundo,
Do primeiro ao último segundo.”
(CD: Contos de todos os cantos - Giba Pedroza e Renata Mattar)

Um comentário:

oneide disse...

Que lindo, Pat!!!