"Que te devolvam a alma homem do nosso tempo. Pede isso a Deus ou às coisas que acreditas: à terra, às águas, à noite desmedida. Uiva se quiseres, ao teu próprio ventre se é ele quem comanda a tua vida, não importa... Pede à mulher, àquela que foi noiva, à que se fez amiga. Abre a tua boca, ulula, pede à chuva. Ruge como se tivesses no peito uma enorme ferida, escancara a tua boca, regouga: A ALMA. A ALMA DE VOLTA." (Hilda Hilst)

20/05/2009

Mitologia Indígena e Arteterapia: mais um filhote!!!

"...Mesmo que os meus versos nunca sejam impressos,
Eles lá terão a sua beleza, se forem belos.
Mas eles não podem ser belos e ficar por imprimir,
Porque as raízes podem estar debaixo da terra
Mas as flores florescem ao ar livre e à vista.
Tem que ser assim por força. Nada o pode impedir..."

(Fernando Pessoa / Alberto Caeiro)

Guardei na memória esse trecho de um poema de Fernando Pessoa desde adolescente, e agora ele me faz mais sentido do que nunca...
Escrever sempre foi uma das minhas paixões, e é um imenso prazer poder aliá-la a outra, que nutre a minha alma e ancora os meus passos em minha jornada pessoal: a minha paixão e profunda gratidão à sabedoria ancestral, acessada através da via simbólica, e um dos caminhos para esse acesso é através da Mitologia, e também da Arte, que quando colocada a serviço da Vida se traduz na prática da Arteterapia, título portanto dessa coleção, que acaba de ganhar o segundo volume: "Mitologia Indígena e Arteterapia: a Arte de Trilhar a Roda da Vida"



"Temos muito a aprender com a visão de mundo com que nos brindam os povos indígenas de diversas etnias, mas para isso precisamos nos abrir para novas perspectivas que contemplem e viabilizem a semeadura de sementes de amanhãs condizentes com uma cultura pela paz, guiada pelo respeito a todas as formas de vida, onde a dignidade seja condição de uma vida plena de significado, brilho e amor solidário, trazendo abundância por favorecer uma troca mutuamente fertilizadora entre o eu, o seu semelhante e o entorno (o que inclui tudo o que encontramos na Terra e os astros que nos iluminam a partir do Céu), harmonizando os aspectos materiais e espirituais de nossa constituição como seres humanos, tornando a nossa existência significativa e coroada pela dignidade.
É a partir desse sonho – de uma cultura pela paz, inclusiva e multi-colorida (multi-étnica) – que parto ao propor, criar e recriar trabalhos em que a Arteterapia e as mitologias de diversos povos se entrelacem respeitosa e amorosamente na tessitura de um cesto que possa acolher e amalgamar novos horizontes existenciais, repletos de oportunidade para o nosso crescimento como indivíduo e como humanidade (tanto material quanto espiritual). Esse é um trabalho que busca empreender um diálogo criativo e produtivo da consciência com a dimensão arquetípica ancestral em que se assentam as diversas mitologias, possibilitando assim as sínteses, conjugando conhecimento e auto-conhecimento num trabalho de Ecologia Profunda e de uma Ecopedagogia que integre a dimensão do prazer e a doçura ao ato de entrelaçar ensinar-aprender-crescer-ser, curando-se nesse processo as próprias feridas, bem como a ferida aberta na alma do mundo dilacerado pela separatividade, que reconheça e desenvolva o nosso potencial criador e de co-criar a realidade, enriquecendo de muitas formas a nossa realidade compartilhada.
Hollis (2005) observa que as nossas imagens internas “surgem do mistério que é investido não só o cosmo, mas em cada um de nós”, nos conduzindo a um acesso pessoal e direto aos mistérios, o que “nos deixa menos passivos na presença dos deuses. Nós os convidamos, embora convidados ou não eles estejam presentes. Se não forem convidados, eles virão como patologias” (2005, p. 167). Daí provém o efeito terapêutico de trabalhos que promovam o contato com as forças arquetípicas que nos habitam e que encontramos simbolizadas nas diversas mitologias como deuses e deusas."

(Trecho do capítulo final desse livro, pág. 213-214)

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO
Os Rituais Ancestrais e o Homem Atual

A ABERTURA A NOVAS PERSPECTIVAS EXISTENCIAIS: INICIAÇÃO, TRANSFORMAÇÃO E RENASCIMENTO
O Chamado
A Travessia
A Iniciação
O Renascimento

A ARTE DE TRILHAR, COM CONSCIÊNCIA E SABEDORIA, OS CICLOS QUE ATRAVESSAMOS AO LONGO DA VIDA
As aberturas e os fechamentos
Acessando e ativando recursos internos

A DANÇA DAS POLARIDADES E OS 4 ELEMENTOS NA RODA DA DOCE MEDICINA
Sol e Lua: A Águia e o Jaguar
A Terra
O Fogo
A Água
O Ar
A Conjunção de Opostos
Lançando ao Universo Sinais de Fumaça...

RETRAMANDO O EU E O OUTRO NA TEIA DA VIDA CÓSMICA
O “Espaço Sagrado”: a Cuia, o Vaso, o Cesto
O Eu, o Outro e a Realidade Multifacetada
A Árvore Psíquica e a individuação

PLANTANDO SONHOS, COLHENDO HORIZONTES

2 comentários:

Rico Mäder disse...

Saber que existe um Universo que conspira a nosso favor e que se traduz também em me presentear com um Ser tão especial como vc, com a simplicidade do Vento e o milagre de Sua feliz convivência e sabedoria é crer que tudo vale a pena quando a Alma não é pequena!

Anônimo disse...

parabéns!! tudo isso consequência de teu enorme talento.. sou teu fã!! e q bom q retomou o blog, escreve mais, escreve sempre!rsrs bjooooooo
Caio