"Que te devolvam a alma homem do nosso tempo. Pede isso a Deus ou às coisas que acreditas: à terra, às águas, à noite desmedida. Uiva se quiseres, ao teu próprio ventre se é ele quem comanda a tua vida, não importa... Pede à mulher, àquela que foi noiva, à que se fez amiga. Abre a tua boca, ulula, pede à chuva. Ruge como se tivesses no peito uma enorme ferida, escancara a tua boca, regouga: A ALMA. A ALMA DE VOLTA." (Hilda Hilst)

05/11/2008

Absinto


Momentos mágicos dão colorido e sabor
ao divino êxtase gotejante do amor,
sorvido como néctar de uma taça repleta de mel e calor...
e ao que sinto, nomeio Absinto!
Que mulher é essa que ergue a sua taça aos céus
para enchê-la de luz e ofertá-la ao homem que ama?
Sem dúvida, poderia dizer-se que é a Anima...
(minha autoria, 2008)

Nenhum comentário: